Múltipla Comunicação e Marketing

9 03 2011

¤ Texto de Fernanda Mourão para Múltipla Comunicação em 2010 no dia Internacional da Mulher.





RB1 News – Editoria: Passeio pelo Rio

26 01 2011
Beleza Preciosa
O Museu Amsterdam Sauer de Pedras Preciosas e Minerais Raros é uma opção de lazer que combina beleza e cultura em um único espaço. A coleção começou a ser formada há quase 70 anos, por Jules Roger Sauer, fundador da empresa Amsterdam Sauer. Atualmente, o museu conta com mais de três mil pedras brutas e lapidadas. Entre elas estão esmeraldas, rubelitas, turmalinas e topázios imperiais.  Um exemplar de água-marinha de 635 quilates também pode ser apreciado no local, assim como cristais gigantes. Já os diamantes são apresentados nas variedades incolor ou amarelada, além de rosa, verde, azul e negra.
O museu ganha destaque por ser o único no mundo a ter réplicas de minas em tamanho natural. Nele, o visitante pode entender o processo de extração das pedras preciosas como se estivesse no interior do Brasil. O Museu Amsterdam Sauer fica na Rua Garcia D’Ávila, n. 105, Ipanema.

O funcionamento é de segunda a sexta, de 9h as 19h, e, aos sábados, de 9h as 16h. A entrada é franca. Para mais informações, acesse o site www.amsterdamsauer.com.

¤ Texto de Fernanda Mourão para o Jornal RB1 News, Mar/Abr de 2009.





Múltipla Comunicação – Assessoria de imprensa

26 01 2011
Ferramenta tecnológica que ajuda a driblar a crise em 2009

A verificação e organização do material no ambiente de venda é um dos procedimentos fundamentais para o bom funcionamento do comércio. Com as novas ameaças, da crise econômica, táticas de ganho de tempo e produção têm sido utilizadas para contornar o cenário. Uma das ferramentas, considerada estratégica por muitos varejistas, é a etapa de checklist. O processo é um eficiente ponto de controle e balanço das não-confirmadades que o negócio possa apresentar.

A empresa de calçados City Shoes, há três meses, buscou auxílio na tecnologia para modernizar e assim melhorar o processo de verificação. Utilizando o aplicativo do Moki Checklist a loja está em processo de agilização, organização e padronização de todo o processo de auditoria, além de ter possibilidade de arquivar e compartilhar as informações coletadas em cada loja.

O aplicativo do Moki Checklist segue o modelo SaaS (Software as a Service), que tem como característica o uso dos softwares através da conexão com a internet, sem necessidade de instalação de programas. O uso do Moki Checklist começa com a ida do supervisor ao ponto a ser verificado. Um questionário, com informações escolhidas pelo cliente, é preenchido diretamente em um computador ou celular. Ao final, alertas de não-conformidades, que foram encontrados no local, são enviados imediatamente para os emails dos responsáveis de supervisão, sejam gerentes, diretores, franqueados etc. O processo todo digital conta ainda com envio de percentuais de erros e falhas da área avaliada e, ainda, gráficos que trazem uma análise profunda dos dados, séries históricas, ranking de unidades e problemas mais freqüentes.

A modernização do processo possibilita um ganho na velocidade e traz agilidade para o trabalho da empresa, segundo o diretor comercial da TIM VIP, Fernando Ribeiro da Luz Cruz. “Antes o processo era em papel e de difícil avaliação e consolidação das informações, com a modernização, através do Moki Checklist, passamos a ter informações de forma mais rápida e consolidada” relata o diretor. A Tim VIP utiliza smartphones, com tecnologia da casa, para a realização do processo, o que na visão de Fernando caracteriza outro diferencial do aplicativo. A mobilidade dos aparelhos integra a modernização do processo e facilita todo o trabalho dos supervisores que não mais precisam carregar e armazenar papéis, além de não terem que realizar o processo de conferência de dados manualmente: “Tivemos ganhos em agilidade e qualidade” avalia Fernando.

A troca do processo manual pelo digital traz outra vantagem, e com foco ecológico. Por ter seu processo realizado todo através da internet, o Moki Checklist inibe o uso de papéis gerando um consumo consciente dos recursos.

¤ Texto de Fernanda Mourão de divulgação para a imprensa sobre o cliente de assessoria de imprensa em janeiro de 2009.





Múltipla Comunicação – Assessoria de imprensa

26 01 2011

Dispositivos móveis, como smartphones, levam inovação para o trabalho de emissão de ordens de serviço 

Modernização tem forte tendência nesse mercado

 

 

Empresas prestadoras de serviços de manutenção e que trabalham com a distribuição e execução de ordens de serviço estão investindo em tecnologia para aumentar a produtividade e o lucro. Uma aposta é o aplicativo Moki OS, cuja base de trabalho está na internet e dispensa a instalação de programas.

O aplicativo pode ser acessado através de qualquer dispositivo móvel, como laptops e smartphones, desde que tenham disponibilidade de acesso à internet. Sua inovação começa no cadastro, em um banco de dados sem limite de usuários, de todos que terão acesso aos dados da ordem de serviço a ser emitida. Dessa forma, os envolvidos, como funcionários e clientes da empresa contratante do serviço, ficam a par do que foi realizado através de envios de notificação, que informam o status do processo e também no painel de controle do aplicativo que mostra o histórico de ações.

O envio de notificações também é feito pela empresa para comunicar o funcionário sobre seu próximo trabalho, indicando o local e o procedimento. O funcionário pode ter acesso a notificação através de qualquer dispositivo móvel com internet que acesse o aplicativo.  Ao final do serviço, o funcionário envia uma nova notificação aos cadastrados, informando o status do processo. Como essa operação pode ocorrer em qualquer lugar, o tempo de deslocamento e o de trabalho são otimizados.

Ao final de um mês, por exemplo, é ainda possível a empresa consultar todas as notificações enviadas, o status das ocorrências, relatórios analíticos, gráficos e rankings, tudo criado automaticamente e disponibilizado no painel de controle do sistema. A autonomia também está entre as vantagens oferecidas, já que o aplicativo permite que diferentes pessoas cadastradas tenham acesso a essas informações. E outros benefícios  ainda são destacados pelos usuárias do aplicativo Moki OS, como mais precisão e segurança para as informações, além da modernização e mobilidade. E mais: com a informatização do processo, as empresas tiveram ganhos em questões ambientais. Como o processo digital inibe o uso de papéis, o consumo consciente é incentivado, o que é um exemplo da tecnologia em prol do meio ambiente e da sociedade.

Gilberto Ferreira Barbosa é encarregado de planejamento da JAM Soluções Prediais na filial do Rio de Janeiro, empresa que atende ao escopo de Manutenção Predial dos shoppings Via Parque, Caxias, Bangu e Grande Rio, além da casa de espetáculos Citybank Hall. Ele aponta a autonomia e agilidade como um dos pontos destacados pelos clientes.

“Utilizamos o serviço há um mês. Buscamos o aplicativo Moki, pois precisamos ser ágeis para atender aos pedidos dos clientes. Antes, o controle era feito por aplicativos que demandavam um maior tempo nas operações e ocasionavam congestionamentos da rede e constantes falhas de comunicação com servidores remotos. Com o aplicativo Moki OS, a informação passou a ser centralizada e, agora, é transmitida de forma mais rápida. A empresa consegue ter maior controle sobre o trabalho realizado pelos funcionários. O tempo ocioso diminuiu. Nossos clientes também estão satisfeitos, pois podem visualizar e acompanhar o andamento do pedido em tempo real. Antes, eles dependiam de nós; precisavam telefonar para estar informados. Após a implantação do MOKI OS, nossos clientes têm mais liberdade e agilidade de acompanhar os serviços realizados.”

Além dos Shoppings no Rio de Janeiro, a JAM começa a utilizar o MOKI OS para seus demais clientes a nível nacional, com a centralização em seu call center de Belo Horizonte. “O MOKI OS nos surpreendeu por ser completo, de fácil acesso e pelo suporte integral que tivemos da equipe no período de implantação”, completa Samuel Ferreira, gerente nacional da JAM.

Confira os benefícios do processo modernizado:

  • Fim da dificuldade de cruzamento de dados dos registros em papel;
  • Geração de gráficos, rankings automáticos e relatórios analíticos;
  • Dimensionamento da equipe com precisão, com análise dos tipos de ocorrência mais frequentes;
  • Acompanhamento do desempenho individual dos responsáveis pela execução dos serviços;
  • Agendamento, com antecedência, das ordens de serviço e manutenção do cronograma preventivo em dia.

¤ Texto de Fernanda Mourão de divulgação para a imprensa sobre o cliente de assessoria de imprensa em out/nov de 2008.





Múltipla Comunicação – Assessoria de imprensa

26 01 2011
Empresas investem em tecnologia para ativar as vendas de Natal

A empresa investiu no serviço Moki Checklist no final do ano para otimizar o trabalho das equipes

Coleção nova, arrumação das araras, vitrines, estoque dos produtos, avaliação de vendas e clientes, muitos clientes. O período de vendas no final de ano, principalmente Natal, é o mais movimentado no mer- cado varejista. A Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) divulgou que a estimativa  dos comerciantes para o Natal deste ano é de um fatura- mento 9,2% maior do que o ano de 2007. Para encarar essa verdadeira maratona, organização e agilidade nos processos internos são armas que diferenciam um bom desempenho de um excelente resultado de vendas de Natal.

A loja de calçados City Shoes buscou ajuda na tecnologia para agilizar e melhorar o desempenho nessa época. Marisa Manuela da Mota Duarte, gerente de franquias da rede, conta que o período é de correria: “No fim de ano, praticamente dobra o ritmo; planejamos o dobro de vendas para dezembro”. Com 67 lojas em todo o Brasil, a City Shoes investiu nos serviços tecnológicos do Moki Checklist com objetivo de melhorar o processo de avaliação do trabalho das equipes e das lojas. Com foco na avaliação da organização e atendimento, a gerente avalia: “A expectativa com relação ao novo processo de avaliação é super positiva. É uma ótima ferramenta e começa a apresentar bons resultados” e cita “o comportamento da equipe já mudou, acho que todos ficam mais focados e passam a ser mais exigentes, pois sabem que estão sendo avaliados”.

Ainda segundo Marisa, para se ter um bom período de vendas, é preciso que itens como, equipe bem treinada, bom estoque e loja organizada estejam em conformidade. O novo método, Moki Checklist, utilizado na rede tem sido um diferencial: “Acredito que a dinâmica da Moki tenha agilizado o processo do checklist. Ficamos sabendo quais são os pontos que devemos atacar. O Moki Checklist nos mostra as não-conformidades, os pontos que precisam ser melhorados e nós focamos nesses pontos”.

Os aplicativos no modelo SaaS (Software as a Service) disponibilizados pela Moki através da internet, sem necessidade de instalação de programas, são contratados através de assinaturas. O Moki Checklist é um software desenhado para auditoria de qualidade e verificação de conformidades, pontos de essencial avaliação nesse período de vendas.

Uma das telas do Moki Checklist com o exemplo de um ranking de unidades de uma rede

Com o uso de notebooks, smartphones ou qualquer outro equipamento com acesso à internet, o supervisor realiza o checklist e em tempo real relata quais não-conformidades são encontradas nas lojas. Além dos relatórios com porcentagem de incoerências no trabalho, seguem percentuais de erros e falhas da área avaliada e, ainda, gráficos que trazem uma análise profunda dos dados, séries históricas, ranking de unidades e problemas mais freqüentes. O resultado torna todo o processo de conferência das lojas mais ágil, organizado e eficaz, o que facilita o trabalho das empresas na época mais corrida e movimentada do comércio.

Agilidade e eficiência

A rede de doçarias Amor aos Pedaços também aposta na tecnologia para aprimorar as vendas. “Já utilizávamos a Moki há um ano e os resultados têm sido satisfatórios. Tivemos um ganho de 30% em nossos serviços oferecidos aos franqueados nos três primeiros meses de uso” avalia a gerente de recursos humanos, Marília Neves da Rocha.

A possibilidade de transmitir as informações em tempo real trouxe para a Amor aos Pedaços ganhos em agilidade no processo de consultoria e melhora na estruturação das informações apresentadas diretamente dos pontos de venda. O cruzamento correto dos dados e as estatísticas apresentadas pelo software também aprimoraram os resultados obtidos. Com 44 lojas nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, a rede encontra na mobilidade outro ponto favorável para agilizar o processo de verificação, segundo Marília: “Antes o processo era manual, no papel. Um resumo dos dados era feito após a conferência, mas não tínhamos total controle. O processo feito através da internet tornou a prática mais ágil e pontual”.

A rede investiu no uso de tecnologia para obter mais agilidade

Utilizando smartphones, para realizar as avaliações, os superviso- res da rede ganharam mais conforto e agilidade para desen- volver o tra-balho. O Moki Checklist apresenta um layout desen- volvido especialmente para a tela de telefones celulares, o que torna o acesso fácil e bem estruturado. “Todos se adap-taram rapidamente a nova ferramenta, agora podemos fazer visitas mais freqüentes e em um número maior de lojas. O nosso tempo foi otimizado” revela Marília.

 

¤ Texto de Fernanda Mourão de divulgação para a imprensa sobre o cliente de assessoria de imprensa em out/nov de 2008.





Múltipla Comunicação – Assessoria de imprensa

26 01 2011

¤ Montagem com o resultado do trabalho de assessoria de imprensa. Inserção do cliente na revista Isto é Dinheiro em novembro/dezembro de 2008.





RB1 News – Editoria: Passeio pelo Rio

4 05 2010

Confeitaria Colombo: sabor e tradição

Localizada em uma das áreas mais nobres do Rio de Janeiro, a Confeitaria Colombo foi palco de grandes acontecimentos na cidade. Hoje, com riqueza histórica e gastronômica preservadas, a casa é um lugar propício para um tradicional passeio.

Antigo registro do bar jardim (...)

(...) E, o local atualmente

E os números não mentem: atualmente, produz, em média, de três a quatro mil doces diariamente; só no ano passado, atingiu a marca de um milhão de visitantes, uma média de três mil pessoas por dia. Para o chef executivo, Renato Freire, o sucesso ao longo de tantos anos é devido à qualidade e à dedicação. “A maneira como a Confeitaria foi fundada e transmitida possibilita-nos ter uma marca forte”, relata.

Com uma decoração inspirada no Art Nouveau e na Belle Époque francesa, a casa tem peças que testemu-nharam mais de um século de história. Entre elas, estão espelhos belgas de cristal, trazidos da Europa de navio e transportados por cavalos até a Confeitaria Colombo; piso feito de ladrilho português; mobiliário, de jacarandá; e balcões, de mármore de carrara.

O Bar Jardim situado no primeiro piso é uma boa opção para quem deseja saborear doces, salgados, cafés, chás e sucos. Já o restaurante Cristóvão, localizado no segundo piso, é o ponto para quem quer experimentar pratos inspirados nas culturas portuguesa e espanhola. No mesmo andar, encontra-se, ainda, o Espaço Memória, destinado a relatar a história da Confeitaria por meio de fotos e documentos. O local possui uma loja em que o visitante pode adquirir louças e lembranças da casa. A Confeitaria Colombo fica na Rua Gonçalves Dias, 32, Centro. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 9h às 20h; e sábados e feriados, das 9h30m às 17h. Tel.: (21) 2505-1500.

História

Os funcionários, trazidos de Portugal, moravam no prédio da Confeitaria e eram viagiados de perto pelo chefe Manuel Lebrão

Criada em 1894 pelos portugueses Manuel Lebrão e Joaquim Meirelles, a Confeitaria seguia padrões rígidos de qualidade e acompanhava, de perto, a postura dos funcionários, a maioria trazida de Portugal. Os esforços, por sua vez, eram retribuídos por meio de favorecimentos econômicos, como repasse de lucros e férias – benefícios que ainda não constavam nas leis brasileiras. A relação de trabalho foi tão intensa que, ao se aposentar, Lebrão não deixou a Confeitaria como um bem familiar, mas sim, de sua equipe. Um repasse da empresa foi feito aos funcionários mais ativos, para que estes dessem continuidade ao negócio.

A fim de manter a qualidade e o padrão dos produtos, a Confeitaria chegou a ter fazenda própria para o cultivo das frutas; refinaria de açúcar; indústria de geleias e doces; e até importou gelo para a produção de sorvetes. Louças também eram produzidas especialmente para os diferentes banquetes servidos.

A Confeitaria Colombo foi…

  • Ponto de encontro de intelectuais, entre eles, Olavo Bilac, Rui Barbosa, Chiquinha Gonzaga, Villa-Lobos e Getúlio Vargas;
  • O primeiro estabelecimento comercial a ter energia elétrica no Brasil;
  • O primeiro estabelecimento comercial a ter um elevador, que, ainda hoje, pode ser visitado;
  • O primeiro local a vender Coca-Cola no Brasil, em 1942.

¤ Texto de Fernanda Mourão para o Jornal RB1 News, Jan/ Fev de 2010.








%d bloggers like this: